Perder peso com saúde

Dietas são diferentes e existem aquelas que são especificas para cada tipo pacientes, por exemplo, para diabéticos, pacientes hipertensos e pacientes renais com hepáticas. Afinal, pelo que comem, depende da sua saúde e, às vezes, da vida.

Existem dietas para saudável. Por exemplo, para aqueles que querem limpar alguma coisa (fígado, vasos ou intestinos). Uma dieta especial deve ser observada por um mês ou dois, então você pode voltar ao menu usual, mas limitar os produtos que causam “escória”. E, claro, há muitas dietas de emagrecimento.

Adeptos de pernas de vespas, mãos, cintura, sentam-se durante anos em “trigo sarraceno”, “Kremlin”, “batata”, “sopa”, “kefir” “Quitoplan“… Ao mesmo tempo, qualquer destas dietas bate um reflexo incondicional – o instinto de satisfazer a fome.

A fome é fisiológica, pois lembra ao corpo que é hora de jogar combustível no forno, senão a energia não será suficiente para a atividade vital. Mesmo uma simples diminuição na quantidade de alimentos é estressante, e quando uma pessoa (geralmente uma mulher e uma faixa etária adolescente) se senta em uma dieta chamada “fome”, com uma restrição estrita na escolha dos produtos e sua quantidade. Isso pode contribuir para o aparecimento de tal buquê doenças, em comparação com o que os sentimentos sobre a cintura 64 cm, não 60, será percebido como uma comédia leve.

A vida mostra que seriamente se preocupar com centímetros extras, e pronto para sentar em qualquer dieta mais arriscada, a cada ano se torna mais e mais. Para ajudar aqueles que querem perder peso, selecionamos várias dietas que são as menos prejudiciais à saúde – não estraguem a digestão e não provocam estresse.

Dieta do gelo

Sua base é a água descongelada. Acredita-se ser muito útil para os vasos sanguíneos e para o trato gastrointestinal. Para uma dieta gelada, é necessário beber três copos (200 mililitros) de meio dia de água por dia e eliminar os alimentos gordurosos da dieta.

Cubos de gelo (é melhor congelar prata ou água de nascente) colocamos em um jarro e, como o gelo derrete à temperatura ambiente, despeje a mistura de gelo com água já acumulada em um copo e beber. O primeiro copo de gelo com água derretida deve ser tomado de manhã com o estômago vazio. O jejum de gelo é recomendado por dois meses.

Prós: não há sensação de fome, as “escórias” são removidas, o peristaltismo intestinal é normalizado, o estômago perde peso mais depressa.

Contras: pode provocar um resfriado.

Dieta de soro de leite

Nós todos sabemos sobre a dieta do kefir. Mas há mais um produto lácteo que é completamente não-nutritivo e muito útil: uma massa de oligoelementos (potássio, cálcio) e vitaminas (A, B1, B6, PP, H). Isso é soro.

Whey Diet: dois litros de soro de leite por dia + salada de legumes light + frutas. Esta semana leva três quilos.

Prós: sem contra-indicações, mesmo para pessoas com gastrite e duodenite, melhora a função renal, a pele é rapidamente apertada com esta dieta.

Contras: para cozinhar ou encontrar na loja de soro, tem que trabalhar duro.

Dieta de gengibre

Sabe-se que o número esmagador de dietas, onde os ovos são usados, carne “vermelha”, cozimento de alto teor calórico, não contribui para a sexualidade. Mas há uma ferramenta que não interfere na eliminação de quilos extras e, ao mesmo tempo, aumenta a libido – o gengibre.

A linha de fundo: uma boa adição à dieta vegetal. Coma meia colher de raiz de gengibre ralada três vezes ao dia: você pode adicioná-la ao chá (vegetal, verde ou regular) e colocá-la em qualquer prato.

Prós: melhora a motilidade intestinal, limpa os vasos sanguíneos, passa por ataques dolorosos durante a menstruação e “marés” durante a menopausa.

Contras: gengibre dilui o sangue, portanto, contra-indicado para pessoas que sofrem de hemorragias e mulheres durante a menstruação.

Dieta de cor

Escolha alimentos por cor e escolha um conjunto de alimentos de uma cor enquanto faz dieta. Por exemplo:

– dia branco: polpa de coco, clara de ovo, leite, iogurte, queijo cottage, requeijão;

– dia verde: alazão, espinafre, alface, couve chinesa;

– dia púrpura: berinjela, ameixas, vinho do tipo “Touro de sangue”, cordeiro;

– dia vermelho: tomate, carne “vermelha”, variedades vermelhas de maçã, groselha.

Como regra geral, os mais deliciosos são os dias “roxo” e “vermelho”. Neutro – dia branco. E o mais útil é verde.

Prós: não causa estresse e crises de zhora, você pode se sentar em tal dieta por anos e não se sentir como um “Decembrista” exilado para um país desconhecido de um estilo de vida saudável.

Fonte: https://dietadospontoss.com/

O que é prostatite?

A prostatite é chamada inflamação da próstata ou próstata, é uma das doenças mais comuns “masculinas”. Prostatite pode ser muito diferente, eles podem ocorrer devido à infecção e sem ela, com atividade sexual insuficiente e com excesso, e assim por diante. Este artigo ajudará a entender as principais nuances da doença.

Cerca de 10% dos homens apresentam sintomas de prostatite crônica, mas apenas cerca de 60% deles procuram ajuda médica

Homens de todas as faixas etárias sofrem de prostatite, sua prevalência continua a crescer. Homens com menos de 50 anos representam 65,2% dos doentes, de acordo com várias fontes, a prevalência da doença entre os homens em geral é de 13,2-35%.

De acordo com outros dados, de 8 a 35% dos homens entre 20 e 40 anos sofrem de inflamação da próstata. Entre os homens mais velhos, o quadro real é “mascarado” pela incidência de hiperplasia benigna da próstata (adenoma de próstata), uma vez que seus sintomas são os mesmos. Até 65% dos pacientes com adenoma são operados com prostatite não reconhecida.

O que acontece prostatite

Divisão simples em aguda e crônica não é suficiente para caracterizar prostatite, a doença inclui várias síndromes com curso clínico diferente. Considere quais formas da doença são distinguidas de acordo com a classificação moderna.

Categoria I: prostatite bacteriana aguda . Uma espécie relativamente rara representa apenas 5% dos casos. É uma consequência da infecção do trato urinário, desenvolve-se no contexto de fatores predisponentes (violação do fluxo de saída de urina, imunidade suprimida). Em 5% dos casos, torna-se prostatite bacteriana crônica.

Categoria II: prostatite bacteriana crônica . É também uma doença rara que é considerada uma infecção recorrente do trato urinário, com uma lesão principal na próstata.

Categoria III: prostatite crônica / síndrome da dor pélvica crônica . Anteriormente, essa doença era chamada de prostatite bacteriana crônica, responsável por até 95% de todas as prostatites diagnosticadas

A síndrome da dor crônica combina patologias caracterizadas por dor urológica na ausência de infecção do trato urinário. Não inclui uretrite, câncer, estreitamento da uretra, lesões neurológicas da bexiga. Dividido em categorias IIIa e IIIb: com sinais de inflamação e sem sinais de inflamação. Estes sinais são determinados pelo laboratório, principalmente pela presença de leucócitos na urina ou secreções prostáticas.

Categoria IV: prostatite inflamatória assintomática . É um achado acidental ao examinar um paciente. O mais comumente diagnosticado quando se examinam homens para infertilidade ou níveis elevados do marcador de PSA no sangue. Nós não consideramos este tipo de doença em detalhes, porque os cientistas ainda não desenvolveram uma visão unificada dessa forma.

Causas da prostatite

Inflamação na próstata desenvolve sob a influência de muitos fatores. Uma glândula saudável, na ausência de fatores predisponentes, tem o potencial de resistir à infecção e à inflamação. O surgimento da doença é promovido por uma diminuição da imunidade, uma violação do fluxo de saída da próstata, regime sexual inadequado, dificuldade na saída da urina e deterioração da circulação sanguínea nos órgãos pélvicos. Também fatores de risco incluem um clima frio, abuso de álcool e um estilo de vida sedentário.

A prostatite aguda é uma inflamação bacteriana, seus patógenos mais comuns são E. coli, Proteus, Pseudomonas aeruginosa, Enterobacter e alguns outros. A doença se desenvolve quando a infecção entra na glândula com um refluxo de urina, infecção ascendente, através da linfa do reto ou com sangue de outros focos de infecção. Um papel importante é desempenhado pela transmissão sexual de patógenos.

Fatores de risco para prostatite bacteriana aguda:

  • fimose;
  • infecções do trato urinário;
  • epididimite aguda (inflamação do epidídimo);
  • relações anais desprotegidas;
  • cateterização da bexiga;
  • operações realizadas através da uretra;
  • biópsia da próstata;
  • violação de secreção e secreção de suco prostático.

Fatores de risco e patógenos da prostatite bacteriana crônica são semelhantes aos da aguda. De particular importância são patógenos de infecções genitais: Trichomonas, clamídia, ureaplasma, micoplasma.

Tratamento de prostatite

Idealmente, a antibioticoterapia deve basear-se em dados bacteriológicos. Mas geralmente começa antes de os resultados serem obtidos, com base no fato de que os patógenos mais comuns são as bactérias intestinais. De acordo com as diretrizes européias para o tratamento de infecções urológicas , os antibióticos dos grupos fluoroquinolonas, trimetaprim, macrolídeos e tetraciclinas são as drogas de escolha para o tratamento da prostatite bacteriana aguda e crônica. Depois de especificar o agente causador, o antibiótico pode ser substituído.

Em casos de prostatite bacteriana aguda complicada, às vezes é necessário tratamento cirúrgico. No caso de um abcesso, uma operação é realizada através do reto ou através da uretra. No caso de retenção urinária aguda, quando é impossível passar um cateter pela uretra, a cistostomia é realizada, o cateter é inserido através da parede abdominal acima do púbis.

O tratamento adicional da prostatite aguda inclui anestesia, diminuição da temperatura, consumo excessivo de álcool e preparações que suavizam as fezes. Os bloqueadores alfa também são usados ​​para melhorar o fluxo de urina. Após o tratamento da prostatite aguda, os pacientes devem abster-se de fazer sexo durante a semana.

Referencias: MedPortal, Encare, Einstein

HairLoss Blocker – A Solução Definitiva para Queda de Cabelo

hairloss blocker

HairLoss Blocker é um produto revolucionário que chegou no mercado para mostrar que existe uma solução que funciona de verdade contra a queda de cabelos.

Muitos brasileiros diariamente olham no espelho e sofrem ao perceber que mais alguns fios foram perdidos e nada do que fazem parece funcionar.

Isto porque ainda não conhecem ou não experimentaram Hair Loss Blocker.

Quem passa por isso sabe como é frustrante a sensação de se imaginar sem os cabelos e ainda virar alvo de deboche dos amigos e receber aqueles velhos apelidos atribuídos aos carecas: pouca telha, aeroporto de mosquito, Bola de sinuca; cabeça de ovo.

Se você não deseja mais passar por isso, conheça agora a solução definitiva para a calvície: o poderoso HairLoss Blocker.

O que é HairLoss Blocker

 

HairLoss Blocker é o produto para tratamento de calvície que mais cresce no Brasil nos últimos anos.

Sua fórmula revolucionária trata a queda de cabelo de uma forma completamente diferente dos demais produtos do mercado.

Em sua composição, Hair Loss Blocker contém Alpha Tocoferol uma vitamina do complexo que tem uma ação antioxidante que recupera a saúde das células do organismo.

Além disso, HairLoss Blocker também contém ácido ascórbico, ácido pantotênico, biotina zinco, magnésio, ácido fólico e groselha negra.

Junto esses nutrientes suprem a necessidade do organismo e não só combatem a queda de cabelo, como também auxiliam no fortalecimento e crescimento de novos fios.

Como Hair Loss Blocker Funciona?

As vitaminas presentes na fórmula exclusiva de HairLoss Blocker atuam em todo o organismo do corpo e seus resultados já podem ser vistos nos primeiros meses de uso.

Veja como HairLoss Blocker funciona no seu organismo nessas quatro fazes de recuperação dos seus cabelos.

  • Fortalecimento do bulbo capilar: HairLoss Blocker atua diretamente no fortalecimento do bulbo capilar logo nas primeiras aplicações.
  • Raiz passa a crescer mais forte: Com a raiz mais forte seus cabelos param de cair, eliminando o desenvolvimento da calvície.
  • Vitaminas B1, B2 e B3: Suprindo a deficiência dessas vitaminas, Hair Loss Blocker deixa seu corpo mais saudável de forma geral e principalmente dos cabelos.
  • Fórmula exclusiva que combina vitaminas e minerais: Esta fórmula exclusiva irá fortalecer os cabelos e permitir o crescimento dos fios que já haviam caído.

Vale a pena adquiriar HairLoss Blocker

Se você não quer mais perder cabelos e não suporta imaginar ficar totalmente careca no futuro, aqui está a solução.

Com certeza vale a pena investir em você e adquirir a sua unidade do produto HairLoss Blocker.

Com apenas dois meses de aplicação deste produto você irá perceber as mudanças.

Primeiro por fortalecer e barrar a queda de cabelos e em seguida trazer de volta os fios onde já não existiam mais.

HairLoss blocker funciona como um suplemento para a sua alimentação diária, porque não só cuida da queda, mas oferece os nutrientes e vitaminas que foram perdidos ao longo dos anos.

HairLossBlocker Funciona para todos?

Não. Como todo medicamento ele possui algumas contraindicações e não deve ser usado indiscriminadamente.

Gestantes, lactantes e menores de 16 anos não devem usar o produto.

Entretanto, se você não faz parte do grupo de pessoas mencionado acima, HairLoss Blocker não tem nenhuma contraindicação e nenhum efeito colateral, já que é composto de vitaminas e minerais que nosso corpo necessita para o funcionamento diário.

Não perca mais tempo!

Pare de sofrer com a queda de cabelos e adquira agora mesmo um Kit de HairLoss Blocker e faça como o craque Túlio Maravilha que já está tendo resultados com a aplicação do produto.

 

Dicas simples para aumentar a testosterona

A testosterona é um importante hormônio masculino, responsável por determinar as características do gênero, embora esteja presente nas mulheres em pouca quantidade. Muitos atletas buscam maneiras de aumentar os níveis do hormônio para desempenho em suas atividades, ganho de massa muscular e força.

Aos 30 anos, o nível de testosterona começa a diminuir e muitos homens recorrem a suplementação, esteróides e até produtos, como o gel macho macho, para melhorar o desempenho sexual.

  1. REDUZIR CARDIO CRÔNICO

Além de ser uma maneira simples de queimar calorias, a atividade física é uma ótima ferramenta para a regulação hormonal. Dependendo do tipo de atividade que você faz, isso afetará seus níveis hormonais de uma forma ou de outra.

Sabemos que o exercício aeróbico tem um grande número de benefícios para o corpo. Se você está em dúvida, fazer uma sessão de aeróbica por semana é uma boa opção se você quiser se sentir mais saudável. O problema aparece quando você abusa desses exercícios. Esse tipo de atividade faz com que os níveis de cortisol aumentem e a testosterona diminua.

É normal (e benéfico) que os níveis de cortisol (hormônio do estresse) aumentem durante e após o treinamento. Mas o cardio prolongado faz com que esses níveis cresçam cronicamente e isso é realmente prejudicial.

  1. Elimine o açúcar e as farinhas refinadas

Caso você tenha poucos motivos para deixar açúcar e carboidratos refinados de sua dieta, aqui está mais um:

Foi observado que ocorre uma diminuição significativa no nível de testosterona livre, após uma ingestão de glicose. Sempre priorize carboidratos complexos com menor carga glicêmica e seu nível de testosterona não irá diminuir. Minimizar bebidas açucaradas, produtos processados e farinhas refinadas, será benéfico para sua saúde e hormônios.

  1. REDUZIR O CONSUMO DE ÁLCOOL

É possível que, em quantidades moderadas e esporádicas, o álcool não tenha efeitos negativos sobre a produção de testosterona. Pode até mesmo ajudar a elevar os níveis de maneira oportuna, mas a ingestão habitual de bebidas alcoólicas pode ter efeitos devastadores em sua testosterona.

O consumo habitual de vinho e cerveja pode contribuir para o aumento do estradiol (hormônio sexual feminino) em alguns homens.

Evite o álcool em todas as suas formas, não é verdade que o seu consumo com moderação é bom para sua saúde. Os benefícios mínimos que um copo de vinho pode ter, não compensam todos os aspectos prejudiciais do álcool. A indústria do vinho fez um ótimo trabalho promovendo as propriedades benéficas do vinho, mas ainda é uma bebida alcoólica.

Outra questão é o que significa moderação. Para algumas pessoas, pode ser tomar um copo de vinho no fim de semana. Para outros, pode ser um copo de vinho todos os dias com comida.

Certamente, uma bebida de vez em quando não faz mal a você, mas não há quantidade que possa ser considerada benéfica.

     4. MANTENHA SUA GORDURA CORPORAL EM NÍVEIS SAUDÁVEIS

Baixos níveis de testosterona aumentam a gordura corporal e os altos níveis de gordura diminuem a testosterona. Mas, não apenas altas porcentagens de gordura prejudicam seu nível de testosterona. Quando a porcentagem de gordura corporal atinge níveis muito baixos, a produção de testosterona também sofre.

Um exemplo claro são os fisiculturistas que estão em período competitivo, atingindo níveis de gordura abaixo de 5%. Seu corpo está mais marcado e definido do que nunca, mas seus níveis hormonais estão em seu pior momento.

Quando seus níveis de gordura corporal são tão baixos, a prioridade para o seu corpo é garantir sua sobrevivência. Seu corpo não consegue pensar em reproduzir quando sente que sua vida está em perigo.

O mesmo acontece nas mulheres quando atingem percentuais muito baixos de gordura. Um dos primeiros mecanismos de defesa do organismo feminino nessas situações extremas é parar a ovulação (amenorréia).

A melhor coisa para a sua saúde e seus hormônios é manter níveis de gordura corporal baixos, mas não extremos. Entre 8% e 16% se você é homem ou entre 17% e 23% se você é mulher, esses podem ser um bom intervalo de referência.

Blog Lá Folia – Dicas de beleza e saúde

Quais os alimentos que contém a vitamina K2?

Você sabe onde encontrar a vitamina K2? Alguns alimentos são fontes dessa vitamina tão importante para o organismo. Você sabe quais são?

Quais os alimentos que contém a vitamina K2?

A vitamina K2 ficou por muito tempo “esquecida”. Normalmente era somente a vitamina K1 que recebia atenção, ainda mais pelo seu papel na coagulação sanguínea.

 

A falta de informação a respeito da vitamina K2 e a falta de diferenciação com a vitaminas K1, fizeram com que não se falasse tanto dela.

 

Porém, novas descobertas fizeram isso mudar. Agora já se sabe sua importância para o correto uso do cálcio no organismo. Mas se ela é assim tão benéfica ao organismo, onde podemos encontrá-la?

 

A vitamina K1(fitomenadiona) é encontrada em vegetais de folhas verdes escuras, sendo bastante fácil de obter níveis suficientes através da dieta, tanto que sua deficiência é rara.

 

Diferentemente da vitamina K1, a deficiência da vitamina K2, também chamada de menaquinona, é comum. Segundo avaliações feitas nos Estados Unidos, estima-se que 80% da população tenha deficiência dessa vitamina.

 

Isso se deve ao fato da dieta moderna não incluir alimentos ricos em K2 em quantidade adequada.

 

Além de ser encontrada em alguns alimentos, a vitamina K2 pode ser sintetizada pelas bactérias intestinais. Por esse motivo, o equilíbrio das bactérias intestinais é muito importante.

 

Para evitar a deficiência de vitamina K2, controle os fatores que afetam negativamente a saúde intestinal, tais como a má alimentação, uso prolongado de antibióticos e doenças intestinais.

Por mais que a vitamina K2 seja sintetizada no intestino, sua produção diminui com o passar dos anos. Isso, juntamente com o fato de que a alimentação moderna, rica em alimentos industrializados, prejudica a saúde intestinal, contribui para a deficiência de K2 na população.

 

Fontes de Vitamina K2

 

Agora que você já sabe da importância da vitamina K2 e que a sua deficiência é comum, você precisa saber quais as fontes alimentares para obtê-la.

 

A vitamina K2 possui diversas subcategorias denominadas MK-n, onde “n” é o número referente a ramificação da molécula, sendo as principais a MK4 e MK7.

 

A vitamina K2 MK4 (metaquinona 4) é uma molécula de cadeia curta. Pequenas quantidades podem ser encontradas na manteiga, gema do ovo e em carnes em geral.

 

A forma MK7 (metaquinona 7) é uma molécula de cadeia mais longa. Ela é encontrada em boas quantidades em leguminosas como no feijão, ervilha, lentilha, grão de bico. Também em fígado de animais, óleo de peixe, leite e em alguns alimentos fermentados como iogurte e queijos, especialmente nas variedades brie e gouda.

 

Uma das mais ricas fontes de vitamina K MK-7, porém, é a soja fermentada, conhecida como Natto. Esse alimento tradicional no Japão é produzido através da fermentação da soja cozida com Bacillus natto.

 

O consumo do Natto está associado com efeitos benéficos na saúde óssea, bem como na prevenção de diabetes e câncer. Isso porque, além da vitamina K2, esse alimento é rico em proteínas, ferro e vitaminas do complexo B, como a Riboflavina (vitamina B2) e Cobalamina (vitamina B12).

 

Fontes alimentares de vitamina K2:

  • Couve
  • Espinafre
  • Brócolis
  • Repolho
  • Aspargos
  • Carnes
  • Peixes
  • Leite e derivados

Suplementação de Vitamina K2

 

Além dos alimentos, outra fonte exógena de vitamina K2 é a suplementação. Esta, é uma terapia comum para a prevenção de osteoporose e fraturas ósseas.

 

Quando consumida na forma de suplemento alimentar, a forma MK7 é a que tem maior biodisponibilidade, uma vez que é melhor absorvida e permanece no organismo por mais tempo, tendo seu efeito prolongado.

 

A suplementação de K2 MK7 já pode ser facilmente encontrada em sites de produtos naturais(1), suplementos e visa combater a carência nutricional de Vitamina K2. Prevenindo assim, a manifestação de desordens metabólicas decorrentes da insuficiência de vitamina K2.

 

A Vitamina K2 tem ação importante no organismo, principalmente na manutenção óssea e na saúde vascular. Sendo que a orientação geral, é o consumo de cerca de 180 a 200 mcg de Vitamina K2 por dia.

 

No caso de suplementação, o ideal é ingerir a cápsula do Suplemento de Vitamina K2 MK-7 antes das principais refeições. Pois, como ele é lipossolúvel, precisa de ser ingerido perto das refeições para melhor absorvido.

Gostou do artigo? Deixe abaixo seu comentário, dúvida ou sugestão!